sábado, 29 de setembro de 2007

Diga lá o que é... - 4

Continuando na temática das adivinhas:
gostava que descobrissem o nome do compositor e da obra PARA PIANO de onde retirei este excerto.


Músicos? - 7

Mais uma imagem para descobrirem quem é.
Desta vez por sugestão da nossa aluna e participante frequente do Blogue:
catarina




Efemérides - 35

em 1977 morria o compositor russo
Alexander Tcherepnin
(1899-1977)

Partituras:
Tcherepnin, Alexander - Bagatelles (presentes no programa de piano do Conservatório Nacional)


Outras efemérides deste dia:
- Nascimento em 1673 ou 1674 do compositor francês Jacques Hotteterre

- Primeira apresentação, em 1969, da Sinfonia No.14 de D. Shostakovich (com poemas de Lorca, Apollinaire, Küchelbecker e Rilke) pela Orquestra de Câmara de Moscovo com direcção de Rudolf Barshai, em Leningrado.

- Primeira apresentação, em 2000, do Concerto Crouching Tiger do compositor Tan Dun pela London Sinfonietta no festival Barbican em Londres

- Em 2003 o maestro Lorin Maazel dirigiu a Orquestra Filarmónica de Nova Iorque no topo do edifício de 13 andares do teatro Ed Sullivan em Nova Iorque. 53 membros da orquestra tocaram a abertura das Bodas de Figaro para o programa Late Show with David Letterman no que se diz ter sido o maior agrupamento a tocar no tecto do referido edifício.



sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Efemérides - 34

Neste dia, em 1870, nascia o compositor francês
Florent Schmitt
(1870-1958)
Algumas das suas obras como Musiques Intimes (I e II), Petites Musiques e Soirs estão referidas nos programas de piano do Conservatório Nacional
(para a efeméride da morte deste compositor, ver ESTE POST (de 17 de Agosto)

Partituras:

Schmitt, Florent - Musiques Intimes I, Op.16 - 2. Sur le Chemin Désert
Schmitt, Florent - Musiques Intimes II, Op.29 - 5. Poursuite
Schmitt, Florent - Soirs, Op.5 - 4. Après l'été
Schmitt, Florent - Soirs, Op.5 - 10. Dernières Pages
Schmitt, Florent - Petites Musiques, Op.32
(estas obras de Florent Schmitt estão referidas nos programas de piano oficiais de 2º, 5º e 8º graus)


Outras efemérides que são de assinalar, mas que não estão directamente relacionadas com o piano:
- O nascimento, em 1681, do compositor alemão Johann Mattheson



- A primeira execução, em 1745, do hino nacional Britânico God Save the King no Drury Lane Theatre em Londres


- O nascimento, em 1902 do Musicólogo Donald Jay Grout (bem conhecido dos alunos de História da Música)


- A primeira apresentação da História do Soldado de I. Stravinsky, em 1918 no Teatro Municipal de Lausanne, dirigida pelo maestro Ernest Ansermet.



quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Comédia Musical - 5

A pedido de várias "famílias" aqui fica uma solução para combater o aborrecimento que algumas pessoas sentem durante os concertos de música erudita: relatar os concertos à maneira de um qualquer evento desportivo.


P.D.Q. Bach - New Horizons in Music Appreciation
(relato desportivo do 1º andamento da 5ª Sinfonia de Beethoven)

Apesar da maneira cómica como é apresentado, ainda se aprende alguma coisa em relação a esta obra. Infelizmente é preciso compreender alguma coisa de inglês...

O segundo exemplo é a Cantata Iphegenia in Brooklyn S. 53162 também de P.D.Q. Bach.
Como podem ouvir na pequena introdução, tem uma característica muito particular: o uso de palhetas duplas (nada de especial, dirão...) mas SEM o uso dos INSTRUMENTOS propriamente ditos, ou seja, tocando apenas nas palhetas sem utilizar oboés ou fagotes. O texto é igualmente hilariante:
Aria
As Hyperion across the flaming sky his chariot did ride,
Iphigenia herself in Brooklyn found.
Recitative
And lo, she found herself within a market,
and all around her fish were dying;
and yet their stench did live on.
Ground
Dying,
and yet in death alive
Recitative
And in a vision Iphigenia saw her brother Orestes,
who was being chased by the Amenities;
and he cried out in anguish: “Oh ye gods, who knows what it is to be running?
Only he who is running knows.”
Aria
Running knows.



Já para não falar da brilhante cadência do cravo que é de desesperar qualquer um.
Oiçam se tiverem coragem...hehehe


Efemérides - 33

Neste dia, em 1879, nascia o pianista, compositor e poeta
Cyril Scott
(1879-1970)Algumas das suas obras para piano estão referidas nos programas oficiais do Conservatório Nacional.



quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Efemérides - 32

Neste dia, em 1877, nascia o pianista e pedagogo francês
Alfred Cortot
(1877-1962)Professor de alunos notáveis (como por exemplo Dinu Lipatti), é conhecido por algumas notas erradas nas suas gravações, mas que, nitidamente não prejudicam em nada o discurso musical deste grande músico.

Aqui apresento alguns exemplos da arte de Alfred Cortot
Chopin - Prelúdio, Op.28 no.4
Chopin - Prelúdio, Op.28 no.7
Chopin - Prelúdio, Op.28 no.20
Chopin - Fantasia-Improviso, Op.66



Para além destes exemplos, podem ver um vídeo de Cortot num post anterior do nosso Blogue.


também neste dia, mas em 1898, nascia o pianista e compositor norte-americano
George Gershwin (Jacob Gershowitz)
(1898-1937)
Gershwin foi um compositor que sempre quis ser reconhecido como um valor da música erudita. Foi considerado o compositor mais rico de sempre.

Aqui ficam exemplos de Gershwin como compositor e intérprete:
Gershwin - Prelúdio No.3 - G. Gershwin
Gershwin-Wild - Improvisação sobre Someone To Watch Over Me-Tema - Earl Wild
Gershwin-Wild - Improvisação sobre Someone To Watch Over Me-Barcarolle - Earl Wild
Gershwin-Wild - Improvisação sobre Someone To Watch Over Me-Brazilian Dance - Earl Wild
Gershwin-Wild - Improvisação sobre Someone To Watch Over Me-Tango - Earl Wild
Gerswhin - Rhapsody in Blue - Fazil Say




Já agora...reconhecem as obras que são apresentadas na improvisação "Tango"?
(para além do Someone to Watch Over Me, claro)


Quem estiver interessado no álbum Gershwin-Wild - Earl Wild Plays His Transcriptions of Gershwin, contacte para o email do Blogue, para obtenção de username / password que permite a obtenção do referido álbum (apenas para alunos do C.R.S. que se identifiquem como tal)

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Efemérides - 31

Neste dia, em 1906, nascia o compositor russo
Dmitri Shostakovich
(1906-1975)Shostakovich é talvez um dos compositores mais importantes do Século XX, com obras notáveis para piano como os Prelúdios Op.34, os Prelúdios e Fugas Op.87, os Concertos para piano (2), os Trios com piano (2), entre muitas outras.


Como não podia deixar de ser, aqui ficam alguns exemplos em áudio:
Shostakovich
Prelúdio, Op.34 no.10 - Olli Mustonen
Prelúdio e Fuga No.20 em Dó menor - Keith Jarrett
Concerto para piano No.1, Op.35 (1º andamento - Allegro moderato) - Marc-André Hamelin, BBC Scottish Orchestra
Trio com piano No.2, Op.67 em mi menor (4º andamento - Allegretto - Pesante - Adagio) - Guarnieri Trio Prague





Também neste dia, mas em 1932, nascia o pianista canadiano
Glenn Gould
(1932-1982)genial pianista que ou se adora ou se odeia, marcou profundamente a interpretação da música para teclado de J.S. Bach.
Deixou de se apresentar em concertos públicos em 1964, dedicando-se exclusivamente às gravações em estúdio.
Conhecido pelas suas gravações das Variações Goldberg, BWV988 (a sua primeira gravação em 1955 e também a sua última em 1981), pelo seu pouco gosto por grandes compositores como Chopin, Beethoven ou Mozart e pela sua original cadeira que o seu pai adaptou para ele que lhe permitia sentar-se numa posição bastante baixa em relação ao teclado.


Em relação a Glenn Gould, deixo alguns vídeos
e estes exemplos áudio:
Bach - Variações Goldberg - Aria (1955)
Bach - Variações Goldberg - Aria (1981)
"Takes" durante as gravações das Variações Goldberg em 1955
Glenn Gould - So You Want to Write a Fugue?
Bach - Invenção a 2 vozes em Dó Maior
Bach - Invenção (Sinfonia) a 3 vozes em Dó Menor
Discurso de Glenn Gould gravado em 1968







para verem outras referências a Glenn Gould anteriormente feitas neste Blogue, clicar AQUI

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Efemérides - 30

(Samuel Barber)

Neste dia, em 1962, estreava-se o Concerto para Piano de Samuel Barber.
Foi no Lincoln Center em Nova Iorque pelo pianista John Browning e pela Boston Symphony Orchestra, dirigida pelo maestro Erich Leinsdorf

Foi um concerto encomendado a Barber pela editora G. Schirmer para as comemorações do centenário da sua fundação.



(John Browning)
Este concerto foi composto tendo em vista as características técnicas específicas do pianista John Browning e foi um concerto muito bem recebido pela critica.

tem 3 andamentos: Allegro appassionato, Canzone: moderato, e Allegro molto sendo que este último está escrito num pouco vulgar compasso de 5/8.


Aqui fica uma interpretação deste concerto, pelo próprio pianista da estreia: John Browning, mas desta feita com a Orquestra de Cleveland e o maestro Georges Szell



sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Efemérides - 29

Neste dia, em 1912, nascia o pianista húngaro
György Sandor
(1912-2005)(na imagem com Béla Bartók)

aluno de piano de B. Bartók e de composição de Z. Kodály, professor na Juilliard School desde 1982. Foi uma das 10 pessoas presentes no funeral de Bartók.


Também neste dia, mas em 1955, nascia o pianista russo
Andrei Gavrilov
(1955 - )
Pianista controverso que atravessou uma fase complicada durante os anos 90 do Século XX, cancelando concertos frequentemente ou até saindo a meio de outros (inclusivamente durante transmissões radiofónicas em directo). Agora está a trabalhar no seu "regresso". Para poderem avaliar do seu sucesso (ou não), deixo aqui alguns Nocturnos de Chopin tocados por Gavrilov:

Chopin - Nocturno, Op.9 no.1


Chopin - Nocturno, Op.15 no.1


Chopin - Nocturno, Op.15 no.2


Chopin - Nocturno, Op.32 no.2


Chopin - Nocturno, Op.48 no.1


Chopin - Nocturno, Op.55 no.1


Chopin - Nocturno, Op.póstumo IVa/168/1



à semelhança do que pedi NESTE POST, gostaria que comentassem a interpretação de Gavrilov destes Nocturnos, que, seguramente, não é convencional.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Comédia Musical - 4

Aqui está uma obra mítica:
The Short-Tempered Clavier in all the major and minor keys, except for the really hard ones

do compositor

P.D.Q. Bach

não vou explicar aqui quem foi P.D.Q. Bach e a sua importância na música. Quem não conhece a história deste compositor e a sua obra, recomendo que procurem informações sobre o assunto.

para ouvirem, fiz uma pequena selecção, dentro da própria selecção que a obra já é. Tal como O cravo bem-temperado de J.S. Bach, esta obra está organizada também em pares de Prelúdios e Fugas.



Lanço aqui um desafio. Como podem reparar, os temas das Fugas são baseados em algumas melodias ou obras conhecidas. Não vou pedir para as enumerarem (podem fazê-lo), mas gostava que alguém identificasse o tema da última Fuga. (em Si bemol maior).

Efemérides - 28

Neste dia, em 1922, nascia o pianista norte-americano
William Kapell
(1922-1953)foi considerado um dos pianistas mais promissores nascidos em solo americano, mas, infelizmente, morreu prematuramente com apenas 31 anos de idade num acidente de avião.
Ainda realizou um número razoável de gravações, pelo que é possível termos uma ideia do seu pianismo.


Aqui temos uma pequena amostra disso mesmo. Incluí também uma entrevista com o pianista (em inglês)
Chopin - Mazurca, Op.7 no.2
Chopin - Mazurca, Op.17 no.4
Debussy - Golliwogg's Cakewalk
Rachmaninoff - Prelúdio, Op.3 no.2
Shostakovich - Prelúdio, Op.34 no.10
Rachmaninoff -
Concerto para Piano no.2, Op.18 - I Moderato, Allegro
Rachmaninoff -
Concerto para Piano no.2, Op.18 - II Adagio sostenuto
Rachmaninoff -
Concerto para Piano no.2, Op.18 - III Allegro scherzando
Entrevista com William Kapell




Antepassados do Piano - 6

BROADWOOD

John Broadwood começou por trabalhar para o construtor de Cravos Burkat Shudi (incialmente Tschudi) que mais tarde, em 1779, viria a ser seu sogro. Ficaria à frente do negócio de Shudi em 1782, ficando conhecido por John Broadwood.


Broadwood construiu o seu primeiro piano de mesa em 1771 ou 1772. Ele desenvolveu o desenho simples de Zumpe (ver Post no.1) conferindo ao instrumento maior ressonância. Com estes melhoramentos, o piano de mesa foi bem aceite na primeira metade do Século XIX, alcançando vários lares mais modestos financeiramente do que os de cauda.

Em 1795 a firma passa a ser designada como John Broadwood & Son quando o seu filho James Shudi Broadwood ficou com 50% da firma.



Em 1808 passa a ser John Broadwood & Sons com a participação do seu segundo filho Thomas.



Contribuiu grandemente para o desenvolvimento do chamado piano de cauda com modificações ao nível das pontes do tampo harmónico, da tensão das cordas, do aumento da extensão do teclado e do mecanismo do pedal. Foi com Broadwood que o teclado aumentou para cerca de 6 oitavas em 1794 e é-lhe atribuída a utilização pela primeira vez, em 1783, de um mecanismo semelhante ao do actual pedal direito que era accionado pelo pé, contrariamente aos que existiam anteriormente (embora exista um exemplo anterior de Americus Backers datado de 1772). Estes melhoramentos permitiram a Broadwood retirar a máxima potência dos seus instrumentos que se tornaram os mais sonoros da época, conferindo à Inglaterra a liderança em qualidade e quantidade de produção.

Cordas mais pesadas implicavam alterações ao mecanismo. Os martelos eram impulsionados para as cordas com mais intensidade e, por isso, era necessário um touché mais profundo e pesado, tornando as passagens mais rápidas um pouco mais difíceis de tocar. Esta tornou-se uma característica do que ficou conhecido como a mecânica Inglesa e dos pianos Broadwood em particular.

Este peso acrescido das cordas e a maior extensão do teclado provocavam, obviamente, uma tensão maior e, consequentemente, uma distorção da estrutura em madeira. Foi assim, que ao se aperceber de tal facto, em 1808, James Shudi Broadwood introduziu três barras de tensão metálicas na zona média do piano. em 1818 já seriam usadas quatro barras.


A firma Broadwood sempre esteve associada a grandes compositores como Mozart, Haydn, Chopin, Beethoven, Liszt e Elgar. Um dos últimos pianos de Beethoven (de 1817) foi-lhe oferecido por Broadwood em 1818. Este instrumento está agora no Museu Nacional da Hungria e foi propriedade também de Franz Liszt. Sofreu um importante restauro em 1991. Antes de ser oferecido a Beethoven foi experimentado por Clementi, Cramer e Ferdinand Ries que juntamente com outras personalidades distintas escreveram os seus nomes no interior do instrumento. O piano foi enviado para Viena a 27 de Dezembro de 1817. Beethoven ficou bastante agradecido pelo instrumento e em 1818 enviou uma carta de agradecimento muito lisonjeira a Thomas Broadwood (em francês).

Em 1846 Walter Broadwood dá instruções aos seus técnicos para utilizarem nos seus instrumentos o temperamento igual. Nos concertos que Chopin fez na Inglaterra e Escócia em 1848, foi em 3 pianos Broadwood. Estes pianos presume-se que já estariam afinados neste sistema.

Liszt tocaria num Broadwood na sua última visita a Londres em 1886.

Em 1867, um piano de mesa Broadwood and Sons de 1844 foi adquirido pelo pai de E.Elgar que mais tarde ficaria para o próprio Elgar. Foi inscrito no tampo harmónico uma listagem das obras compostas por Elgar neste instrumento.

REGISTOS ÁUDIO
felizmente, na minha pesquisa consegui encontrar variadíssimos registos áudio em pianos ORIGINAIS Broadwood. Aqui apresento apenas alguns:

Broadwood de 1792 (da colecção de Stalney Hoogland)
1. Haydn - Sonata Hob.XVI:51 - 1. Andante - Hoogland
2. Haydn - Sonata Hob.XVI:51 - 2. Presto - Hoogland

Broadwood de 1796
(presente no Mus
eum of Fine Arts, Boston)
3. Beethoven - Sonata, Op.13 - Grave - Peter Sykes (excerto)

Broadwood & Son de 1801
4. Haydn - Sona
ta No.60, Hob.XVI:50 - 1. Allegro - Richard Burnett
5. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 2. Adagio - Richard Burnett
6. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 3. Allegro - Richard Burnett

Broadwood & Son de 1804 (presente no Museum of Fine Arts, Boston)
7. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 1. Allegro - Christine Schornsheim
8. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 2. Adagio - Christine Schornsheim
9. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 3. Allegro - Christine Schornsheim
10. Haydn - 4 Variações sobre 'Gott erhalte', Hob.III:77 - Tema: Poco adagio - Christine Schorsheim
11. Haydn - 4 Variações sobre 'Gott erhalte', Hob.III:77 - Var.I: - Christine Schorsheim
12. Haydn - 4 Variações sobre 'Gott erhalte', Hob.III:77 - Var.II: - Christine Schorsheim
13. Haydn - 4 Variações sobre 'Gott erhalte', Hob.III:77 - Var.III: - Christine Schorsheim
14. Haydn - 4 Variações sobre 'Gott erhalte', Hob.III:77 - Var.IV: - Christine Schorsheim

Broadwood & Sons de 1815 (presente na Lawrence University)
15. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 1. Allegro - Tom Beghim
16. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 2. Adagio - Tom Beghim
17. Haydn - Sonata No.60, Hob.XVI:50 - 3. Allegro - Tom Beghim

Broadwood & Sons de 1817 (presente no Museu Nacional Húngaro)
piano de Beethoven e Liszt
APÓS O RESTAURO
18. Beethoven - 7 Variações sobre 'God Save the King' WoO78 - Melvyn Tan

19. Beethoven - 5 Variações sobre 'Rule Britannia' WoO79 - Melvyn Tan
20. Beethoven - Bagatela, Op.33 no.1, Andante grazioso, quasi allegro - Melvyn Tan
21. Beethoven - Bagatela, Op.119 no.1, Allegretto - Melvyn Tan
22. Beethoven - Bagatela, Op.126 no.6, Presto - Andante amabile e con moto - Tempo I - Melvyn Tan
ANTES DO RESTAURO
23. Beethoven - Bagatela, Op.119 no.1, Allegretto - András Schiff
24. Beethoven - Bagatela, Op.126 no.6, Presto - Andante amabile e con moto - Tempo I - András Schiff


Broadwood & Sons de 1822 (piano de mesa)
25. Beethoven - Rondo, Op.51 no.1 - Paula Bär-Giese

Broadwood & Sons de 1833 (piano de mesa)
26. Beethoven - Bagatela, Op.119 no.1, Allegretto - Craig Hansen
Como podem reparar pela listagem incluí sempre que possível a mesma obra tocada em instrumentos diferentes para que seja possível efectuar uma melhor comparação sonora e tímbrica.








terça-feira, 18 de setembro de 2007

Comédia Musical - 3

Concerto Popular
um concerto para terminar todos os concertos
de
Frank Reizenstein



com:
Yvonne Arnaud, piano
Hoffnung Symphony Orchestra
Norman Del Mar, maestro



Contrariamente aos dois posts anteriores, aqui, de certeza que os músicos não foram despedidos, bem pelo contrário, pois fazem o trabalho de muita gente...o sonho de qualquer patrão.

Antepassados do Piano - 5

STEIN e STREICHER
(J.A. Stein)

É com um dos alunos de Silbermann, Johann Andreas Stein , que se desenvolve a mecânica que viria a ser conhecida como Vienense (ou alemã).
Isto acontece por volta de 1770 e podemos ver o seu funcionamento neste vídeo:



video

Como podemos verificar, nesta mecânica os martelos estão invertidos, ou seja, a sua cabeça está virada para o pianista (contrariamente à de Cristofori). As teclas empurram directamente os martelos. As cordas são normalmente um pouco mais finas (cerca de 50%) e os martelos mais pequenos, comparando com a mecânica Inglesa, conferindo aos pianos Vienenses um som mais "leve".






(Nanette Stein)
Uma das suas filhas, Anna Maria (Nanette) Stein, viria a ser a sua melhor aluna na construção de pianos.

Nanette Stein e o seu irmão Matthaus Andreas Stein (conhecido como André Stein) tomaram conta do negócio do pai após a sua morte em 1792. Dois anos depois, em 1794, foram para Viena e formaram a empresa Geschwister Stein que existiu até 1802, altura em que André Stein forma a sua própria firma (mais tarde sucedido pelo seu filho Karl Andreas Stein).

(J.A. Streicher)
Entretanto, em 1794, Nanette casa com o compositor e pianista Johann Andreas Streicher que se junta a Nanette na construção de pianos formando a firma Nannette Streicher née Stein.

Mais tarde o filho do casal Streicher, Johann Baptist Streicher, junta-se aos pais e a firma toma o nome de Nanette Streicher, geb. Stein und Sohn. Em 1833, com a morte de J.A. Streicher e Nanette, o filho de ambos (J. Baptist) muda o nome da firma para J.B. Streicher, para mais tarde, em 1857, voltar a mudar para J.B. Streicher und Sohn com a entrada do seu filho Emil Streicher para o negócio de família.




Os pianos Stein/Streicher foram bastante inovadores e dos primeiros em que o mecanismo permitia a repetição rápida. Foram elogiados por grandes compositores como Mozart (os seus pianos preferidos), Beethoven, Clara Wieck (Schumann), Robert Schumann e Johannes Brahms

Tanto Mozart como Beethoven foram bastante íntimos da família Stein-Streicher. Nanette, como grande pianista que foi, recebeu aulas de Mozart e tocou várias vezes para Beethoven. Beethoven tinha com Nanette uma relação muito próxima. Ela era para ele quase uma "2ª mãe", arranjando-lhe casa para morar quando ele era despejado devido ao barulho que fazia a meio da noite, arrumando-lhe a casa e tratando-lhe da roupa. Estava sempre ao seu lado nos momentos de doença e Beethoven procurava-a frequentemente para conselhos de natureza doméstica, particularmente depois de ter ficado com a custódia do seu sobrinho Karl. Como já referi, Nanette e o seu marido morreram no mesmo ano, depois de 39 anos de casamento. Estão sepultados no talhão dos músicos do Zentralfriedhof (Cemitério Central) de Viena. O seu túmulo está virado de frente para o de Beethoven.





No ramo "paralelo" da família Stein, estava, como referi, André Stein, cujos pianos estavam entre os eleitos de Beethoven e o casal Schumann. Beethoven apenas confiava em André Stein para transportar e reparar o seu piano Broadwood (tratarei destes pianos num futuro post). Existe hoje em dia um piano André Stein (de 1824) no museu Robert Schumann em Zwickau. Este instrumento foi inicialmente de Clara Schumann, tendo-lhe sido oferecido pelo seu pai Friederich Wieck quando ela tinha 8 anos. Após o casamento com Robert Schumann, este acabou por se tornar também seu proprietário. Também sobrevive mais um piano André Stein de 1819 no museu Kunsthistoriches (Museu de Arte Histórica) em Viena.



Aqui estão dois exemplos sonoros de pianos ORIGINAIS Stein e Streicher.
Beethoven - Sonata Op.10 no.1 (III andamento) tocada num piano Stein de 1795
Mozart - Sonata KV311 (I andamento) tocada num piano Nanette Streicher de ca.1800




Antepassados do Piano - 4

SILBERMANN

Como consequência da publicação de uma tradução em alemão do artigo de Scipione Maffei sobre o piano de Cristofori (referido no Post No.3), o fabricante alemão de órgãos e clavicórdios Gottfried Silbermann constrói dois pianos semelhantes no ano de 1725.

Foi um instrumento deste construtor que J.S. Bach experimentou, tendo criticado a fraqueza do registo médio e o touché pesado das teclas, mas mais tarde, por volta de 1747, viria a ter uma opinião mais favorável.




Os pianos de Silbermann eram baseados quase na totalidade no mecanismo de Cristofori, mas Silbermann foi responsável por algumas inovações, nomeadamente a invenção de um mecanismo que levantava os abafadores, permitindo, assim, que as cordas vibrassem livremente, um pouco como o pedal direito do piano moderno, mas, na altura, era accionado com a mão, à semelhança dos registos nos órgãos de tubos, só podendo assim ser utilizado quando ocorria uma pausa no discurso musical.

domingo, 16 de setembro de 2007

Comédia Musical - 2


Outro que também já deve estar despedido...




sábado, 15 de setembro de 2007

Efemérides - 27

Neste dia, em 1945, morria o compositor austríaco
Anton von Webern
(1883-1945)
com Schönberg (seu professor) e Alban Berg constitui o que hoje se designa por Segunda escola de Viena. Não vale a pena dizer quem fez parte da primeira, pois não?

Aqui ficam as suas Variações, Op.27 interpretadas por Glenn Gould


e mais duas interpretações em Vídeo.
Uma novamente por
Glenn Gould e a outra por Noritaka ito


Partituras:
Webern, Anton von - IMSLP

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Efemérides - 26

Neste dia, em 1819, nascia a pianista e compositora alemã
Clara Wieck (Schumann)
(1819-1896)
casada com Robert Schumann

Também neste dia, em 1874, nascia o compositor alemão
Arnold Schönberg
(1874-1951)
(auto-retrato de Schönberg). Para verem mais imagens cliquem AQUI
Compôs várias obras para piano.


Ainda neste dia, mas em 1894, morria o compositor francês
Emmanuel Chabrier
(1841-1894)
as suas Pièces Pittoresques estão nos programas de 5º e 6º graus de piano


Nascia ainda neste dia, em 1955, o cravista/pianista alemão
(1955- )ainda iremos ouvir obras tocadas por Staier em futuros posts da série Antepassados do piano


Finalmente, em 1866, era fundado por Nikolai Rubinstein o
Conservatório de MoscovoNikolai Rubinstein era irmão do pianista Anton Rubinstein que fundou o Conservatório de S. Petersburgo.
O Conservatório de Moscovo é uma escola mítica no que ao piano diz respeito. Dela sairam imensos pianistas e compositores mundialmente conhecidos, tais como:
Boris Berezowsky, Dmitri Kabalevsky, Olga Kern, Aram Khachaturian, Ivo Pogorelich, Sviatoslav Richter, Mstislav Rostropovich (violoncelista), Alfred Schnittke, Alexander Scriabin, entre muitos outros.

Música & Pintura - 12

Mulheres com cabeça de flores encontrando a pele de um piano de cauda na praia (1936)
Salvador Dali
(1904-1989)


Ilusão Diurna: A Sombra de um piano de cauda aproximando-se (1931)
Salvador Dali
(1904-1989)


Um Farmacêutico Levantando Com Extrema Precaução a Tampa de um Piano de Cauda (1936)
Salvador Dali
(1904-1989)


Crânio Atmosférico Sodomizando um piano de cauda (1934)
Salvador Dali
(1904-1989)


Florescimento da Primavera necrófila num piano de cauda (1933)
Salvador Dali
(1904-1989)


Alucinação parcial: Seis aparições de Lenin sobre um piano (1931)
Salvador Dali
(1904-1989)

Editado por NB a 14/09/2007 às 23:15

Os alunos (2008-2009)

Adriana de Almeida Fernandes - Afonso Paulo Farinha Alves - Alberto Correia Peixoto Vaz Pacheco - Alexandre Semedo Coelho - Alice Rodrigues da Fonseca - Ana Beatriz da Costa Marta - Ana Carolina de Almeida Figueiredo - Ana Catarina Bailão Ramos Perpétuo - Ana Margarida de Almeida Fernandes - Ana Salomé Magalhães Lucas Rebelo - Ana Sofia Mendes Dos Santos - Aniana Mercedes Almeida Rodrigues - Beatriz Fernandes Martins - Beatriz Isidro Praça - Beatriz Monteiro Dos Santos Ponte da Silva - Beatriz Pinto Basto Carreira Lopes - Bernardo Gil Coutinho Morgado - Carlos Miguel Encantado - Carlos Ventura Belchior Henriques - Carlota Neves Dias de Pinho - Carolina Filipa Botelho Sampaio - Carolina Maria Pedra de Freitas Lopes Ferreira - Catarina Antunes Mantas - Cátia Alexandra Rosa de Oliveira - Cláudia Raquel Silveira da Silva - Cláudia Sofia Branco Coelho - Daniel Filipe Brandão Figueira - Daniela Liberato Almeida Marques da Conceição - Daniela Rita Correia e Silva - David Barbosa Maia - David Miguel Marques Aniceto Santos - Diana Bastos Vieira Reis Ribeiro - Diana Pereira Fernandes - Dinis Afonso Martins Vargas Reis - Diogo Carvalho Costa - Diogo Henrique Manata Batista - Diogo Tomás Pires Dias - Duarte Rafael Martins Vargas Reis - Elson Barreto Fernandes - Eva Sofia Borges de Araújo Gomes - Fábio Miguel Ferrony Martins - Filipa Barros da Silva - Francisco Maria Vida Correia Dimas Contreiras - Francisco Moraes Castel-Branco - Frederico Joaquim Botelho Sampaio - Gerson Melo Santos - Gonçalo Carapeto de Albuquerque - Gonçalo Filipe Sousa Mateus - Gonçalo Vieira da Fonseca - Hugo Filipe Madeira Fernandes - Inês Maria Ciriago Marquês de Sousa - Inês Mendes de Azevedo - Inês Neves Dias de Pinho - Isabel Sofia da Cunha Piteira - Jessica Coutinho Morgado - Joana de Sousa Gouveia Dos Anjos - Joana Filipa Antão da Silva Fulgêncio - Joana Filipa Lança Das Dores - Joana Isidoro Praça - Joana Osório Gomes Rosado de Sousa - João André Ribeiro Lobo - João Carlos Marques R. de Mendonça Encarnação - João Miguel Calisto Safara - João Pedro Borrego Caleira - João Pedro Calhau Guimarães - João Pedro Canudo Cruz - José António Lourenço Rosa - José Duarte Maia Rodrigues - José Pedro de Sousa Ferreira - Leandro Miguel Paulo Moura - Leonor de Abreu Simplício - Luís Carlos Marques Aniceto Santos - Luís Eduardo Tristão Delgado - Luís Tiago Cabrita Lopo - Mafalda Conceição Brighton da Silva - Marcos Alexandre Paulo Moura - Margarida Ferreira da Silva Miranda - Margarida Galrito Pires Serra - Margarida Vidal Sampaio - Maria Ana Fidalgo Ferreira Sérgio - Maria Francisca Ribeiro Dias Gonçalves Pereira - Maria Inês da Costa Rendas - Maria Inês Fernandes Saldanha - Maria Inês Jardim Beira - Maria Inês Simões Dias Dos Reis Gonçalves - Maria Leonor Barreto Torres Mendonça Narciso - Margarida Vidal Sampaio - Maria Miguel Picado Serrano - Maria Teresa de Jesus Horta de Almeida - Maria Teresa Moraes Castel-Branco - Mariana Alves Canhão - Mariana Duarte Martins - Mariana Lourenço Das Neves - Mariana Morais Machado - Mariana Moreno Pereira Sarmento Vinhas - Mariana Neto Vinheiras - Mariana Pedroso Branco - Mariana Pereira Pisco - Mariana Sofia Colaço Dias - Marta Catarina Coelho Pereira - Marta Sofia Banza Gonçalves - Martim Cevadinha Simões Figueiredo - Micaela Felicidade Muechi Freitas - Miguel Duarte Albuquerque - Mónica Isabelle Popovic - Mónica Sofia de Albuquerque Côrte Real - Nuno Filipe Bofill Milheiro Soares - Patrícia Sofia Pinto e Filipe - - Pedro Miguel Sousa - Rafael Amaro de Jesus e Tavares - Raquel Sofia Caritas Moreira - Raquel Sousa de Oliveira - Rita Alexandra Sepúlveda Fortes Martins - Rita de Oliveira Fonseca - Rita Fidalgo de Figueiredo - Rita Mota Marques - Rodrigo Fernandes Lourenço - Rodrigo Miguel Gonçalves Silva Matias - Rui Alberto Brites da Silva - Samuel Costa Fernão Pires - Sara Beatriz Marques Aniceto Santos - Sara Filipa Mendes de Ferreira Carvalho - Sara Isabel da Costa Ximenes - Sara Margarida Domingos Oliveira - Sara Sofia Ferrony Varela Martins - Sofia Alexandra Maia Silvestre - Sofia Margarida Castro Correia Ribeiro - Sónia Filipa Puga Dias - Tiago Augusto Tavares Magro Mendes - Tiago João Dias Cabrita - Tiago Moraes Castel-Branco - Tiago Pereira Biscaia de Oliveira - Tomás de Brito Águas